(61) 9 9287-4202 - Whatsapp contato@sucessso.com
Escolha uma Página

O Guia do Mochilero de Urantia

Primeira Dica…

Primeira dica para um viajante mundial: abra sua cabeça! Seja resiliente, não seja uma pedra e muito menos uma árvore, saia do seu lugar comum, se insira na cultura local, vire um indiano, um americano, um argentino, se permita. Sempre leve poucas malas, tire o peso das costas, fique solto, pronto para conhecer e fazer qualquer coisa. Dance na rua, coma um gafanhoto, nade com os tubarões e seja qualquer coisa, menos você mesmo!

Introdução

Foi muita petulância a minha fazer um guia de viagem para o planeta, mas o fiz, porque podia e porque quis, pois cansei de ler tantas bobagens e opiniões absurdas em tantos “guias” de viagem. O que é surpreendente, já que estamos no futuro, e mesmo assim continua tão difícil encontrar informação relevante quando o quesito é viajar.

Dentre todos os problemas nos guias de viagem disponíveis, o pior são suas avaliações, baseadas numa média de opiniões pessoais. Como sabemos, a mediana é uma péssima forma de filtrar informação, porque significa “que quando um rico come um frango e um miserável passa fome, os dois comem meio frango”, é algo tão absurdo quanto dizer que só gays e brasileiros usam sunga, que na Europa os hóteis são caros e ruins ou que nos EUA todas as pessoas são gordas e comem mal, são como meias verdades ou exceções usuais…

As opiniões são sempre ruins, porque são feitas por pessoas, que são preguiçosas e mimadas. Então, um sujeito que conhece Miami e diz que não tem nada para fazer, diz isso porque não foi capaz de sair do shopping ou então aquela mulher que faz uma avaliação negativa porque no hotel cinco estrelas não tinha um microndas para esquentar a mamadeira da sua filha. Mesmo que eu respeite as escolhas individuais, não se pode viajar baseado neste tipo de avaliação. Por isso senti uma forte necessidade de criar algo novo.

As avaliações são parciais, em sites de viagens por exemplo, se dividem em grande maioria, em casais em lua de mel, famílias e mochileiros sem dinheiro. Por isso, é difícil confiar nos sites mais populares do mundo, como Trip Advisor e cia.

Não culpo os sites, eles foram criados de maneira criativa, usando a inteligência coletiva (crowdsourcing), fazem um ótimo trabalho levando em consideração que as cidades são seres vivos mutantes e radioativos, mudam constantemente. Então, são válidos, porque é muito difícil atualizar tudo e sempre, porém as pessoas são um animal diferente, de evolução lenta (como uma lesma) e pode demorar séculos para dar um passo. Este guia não é baseado em cidades ou na cultura, mas em quem administra tudo isso, as pessoas, que são todas muito parecidas… Principalmente agora, que a internet padronizou o conhecimento. Hoje, somos influenciados pelos mesmos formadores de opinião e assim temos pessoas ainda mais parecidas. Um cidadão do mundo.

Sem PREconceitos

Pessoas são todas Iguais

Pessoas são seres complexos, mas extremamente parecidas, por exemplo, essa conversa de que os gringos são frios é pura bobagem. Pessoas são naturalmente chatas, aqui e em qualquer lugar do mundo. Sim, a maioria dos meus amigos e parentes são difíceis de engulir! Por isso, existe um padrão de pessoas, com muitas similaridades e poucas peculiaridades, como a cultura, que tem uma forte influência na população. Em alguns lugares, a população é mais retraída e introvertida, como nos países asiáticos, graças a religião. Sim, o lugar faz a pessoa e não o contrário, em poucos meses morando em um país desenvolvido, você será naturalmente mais educado, funciona de maneira rápida e surpreendente, no México ou no Japão. Porém, estas diferenças culturais não vão mudar o seu etinerário, no máximo nas questões segurança e respeito.

Razão vs Emoção

Quanto mais culta uma população, mais racional ela é, ou seja, isso que você chama de calor humano, normalmente está relacionado a pobreza e ignorância (gueto).

“Pessoas extrovertidas, expansivas e que falam muito, normalmente são italianos, brasileiros ou não tem dinheiro…”

O ser humano precisa atender suas necessidades básicas (comida e moradia) para não ter a sua normalidade afetada, para então falarmos de razão e emoção. Porém, não se esqueça, pessoas são tudo de bom e ficam cada dia mais parecidas nesta nova cultura global, cada um com sua peculiaridade e personalidade.

“Não julge um país porque conheceu um cretino.”

Língua

No mundo inteiro se fala inglês, e em grande parte, espanhol, são básicos. Por isso, deixa de preguiça e vá aprender estas línguas! Você pode usar o aplicativo gratuito Duolingo (www.duolingo.com) para isso. Nos raros lugares que não falam estas línguas, vão falar em pontos turísticos e centros de informações. Em casos extremos, use as mãos ou a internet para se comunicar, mas sempre tenha um vocabulário básico no ponta da língua ára todo lugar que visitar, como: obrigado, licença, por favor e QUANTO CUSTA!

Brasil

Como vivemos em um país muito perigoso e caro, temos uma mentalidade efetada pela nossa realidade. Por isso, não se baseie no seu dia a dia para viajar, aqui é uma exceção e não uma regra, pode viajar despreocupado!

Agora Sim, Vamos Começar!

Aeroporto

Depois de 11 de setembro, a segurança aumentou significamente, ou seja, hoje você precisa chegar no aeroporto com no mínimo três horas de antecedência. Uma hora será gasta somente na fila da revista, e assim, não vai correr o risco de perder o vôo, como eu já perdi… ☹

Ao chegar numa cidade, ainda no aeroporto, nunca dê atenção para nenhuma pessoa que tentar te vender algo. Sempre procure um balcão de informações independente, normalmente público, do governo. Lá sim, você terá informações relevantes e irá aprender a como gastar menos.

Para alugar um carro, faça isso pela internet (mais barato), você pode pegar o carro no aeroporto, mas em lugares como os EUA, costuma ser mais barato pegar na cidade, porque é menos cômodo para você devolver, por isso costuma ser mais em conta.

Estes vendedores insuportáveis no aeroporto, vão te oferecer milhões de maneiras para ir até o seu hotel. A melhor e mais barata estará no balcão de informações citado acima, se você é jovem vá de ônibus, normalmente é mais barato, já que o metrô costuma cobrar taxa ao chegar no aeroporto, por exemplo, se a passagem custa dois euros, no aeroporto você terá que pagar uma taxa de oito euros por exemplo. Em New York você paga um décimo do preço pegando um ônibus, literalmente.

Transporte

A dica é básica, em cidades horizontais (centros com grandes prédios e cidade espalhada, estilo americanizado) evite transporte público, mesmo que ele funcione. Como Los Angeles ou Miami, que têm metrô e ônibus que funcionam na cidade inteira, mas que demora uma eternidade pelo tamanho da área urbana. Neste casos, alugue um carro em lugares caros ou ande de táxi em lugares baratos, como em grande parte da Ásia ou em Buenos Aires por exemplo. Em cidades verticais, como New York, prefira transporte público e compre o bilhete do metrô para semana ou para o mês todo, se ganha um desconto. Em cidades históricas como Roma, tente não andar de metrô, prefira transportes ao ar livre, para aproveitar a vista.

Existem algumas exceções, como Paris, que é uma cidade enorme e mesmo assim o transporte público funciona ou na Ásia, que existem existem cidades verticais enormes, mas que tem um transporte público ruim, porque o metrô tem dificuldade de atender em uma área tão grande, e mesmo que o faça, as estações acabam ficando muito longe uma das outras.

Para qualquer lugar que eu vá, primeiro pesquiso no Google Maps, vejo o caminho e conheço o mapa da cidade, sempre faço isso. E quando estiver de carro, faça o mesmo com o Waze. Uma observação interessante, o Google Maps e outros aplicativos semelhantes, possuim o mapa das cidades em modo offline. Você faz o download e pode se localizar mesmo sem internet, o que é muito útil.

Hotéis

Em praticamente todos os lugares do mundo é fácil encontrar um hotel bom e barato , com raras exceções, como em grande parte da Europa… Isso vem mudando, em Portugal por exemplo, já existem lugares sensacionais e com preço baixo. Nestes casos isolados, como a Europa, procure os hotéis e preste atenção nas avaliações (com cuidado) em sites especializados. Volto a dizer, foque nas avaliações positivas e leia com atenção redobrada as negativas. Muita gente reclama de coisas irrelevantes, se preocupe com questões importantes, como a qualidade do banheiro e a limpeza do ambiente. Hotéis antigos, costumam pecar nestes quesitos e isso sim pode estragar suas férias.

Albergues

Albergues são como hotéis, alguns bons, outros não. Porém, se você fica em um hotel ruim, não vai ficar queimando todos os hotéis do mundo, certo? Então, não faça um julgamento antecipado baseado em opiniões tolas. Escolha um albergue exatamente como ensinei a escolher um hotel, se preocupe principalmente com os banheiros e a limpeza. E leia com atenção se o albergue é “curfew”, que são lugares que fecham suas portas de madrugada, ou seja, você não poderá entrar até de manhã. Já dormi na rua em Amsterdan… E sempre procure albergues com espaços comuns e pubcrawl(excursões pelos pubs e boates feitas pelo albergue), são perfeitos para fazer novos amigos.

Eu poderia enumerar um milhão de motivos porque prefiro albergues do que hotéis, mas vou citar o principal, conhecer novas pessoas. Já fiquei dezenas de vezes em albergues, inclusive acompanhado e quando sua namorada/o tiver preconceito, primeiro se hospede em um quarto privativo. Eu, particularmente, prefiro quartos compartilhados, assim é inevitável conhecer outras pessoas. Mesmo com muitos estrangeiros, a equipe do albergue é local e fazem de tudo para você se sentir em casa, ou seja, lá você terá acesso a novas culturas e ainda conhecerá a cultura local.

Me hospedo há anos em albergues e nunca tive um problema, nunca fui roubado e se você foi, posso garantir que foi um caso isolado. A minha experiência costuma ser a seguinte, nos quartos costumam ter pessoas endinheiradas do mundo inteiro, por isso já presencie laptops e smartphones caros largados em cima da cama, até dinheiro já vi. Você como bom brasileiro, sempre alerta, pode deixar seus bens mais caros no armário do quarto com cadeado ou no cofre (ou quartinho) da recepção. Não se preocupe e viaje em paz.

Segurança

Já visitei inúmeros lugares, em todos os continentes, e posso dizer que nunca senti medo por onde viajei. Já andei em centros escuros na madrugada em diversos cantos do mundo, nunca senti um milésimo do medo que sinto normalmente no Brasil ☹ Sim, mesmo em países pobres, não há o que temer, no máximo tenha cuidado, como você já tem, naturalmente, por ser brasileiro.

Isso não quer dizer que já não passei por situações de “risco”, já fiquei inseguro num beco escuro em Roma (do qual sai na hora), já quase chamei pra briga um ladraozinho em Barcelona (fui um idiota, eu sei) e já fugi de um cara muuuito estranho em Los Angeles. Porém, nada demais, em nenhuma das vezes corri qualquer tipo de perigo. Existem bandidos no mundo inteiro, mas eles normalmente são pickpockets, ou seja, ladrões de carteira, aqueles que não estão armados, mas colocam a mão na sua calça ou levam sua bolsa embora correndo. Tenha este tipo de cuidado em centros movimentados ou no metrô, basta segurar o que é seu, normalmente este tipo de coisa acontece muito na Europa ☹

Vou dar alguns depoimentos (vexame) aqui, já cansei de voltar cambaleando (bebaço) as três da manhã por centros urbanos, já fiz isso em Buenos Aires, Barcelona, Madri, New York, San Francisco, Los Angeles e até em Bangkok, ou seja, se nada aconteceu comigo, dificilmente irá acontecer com você! Eu sei que existem bairros barra pesada em países ricos, como em Los Angeles ou Miami, que podem te assaltar a mão armada (alguns amigos já foram), mas, o que você vai fazer em um lugar assim? Os que fizeram isso, erraram o caminho (estavam de carro) e aí caíram numa roubada, literalmente. Como hoje existem aplicativos como o Waze e o Google Maps, não tem desculpa para você não cair numa quebrada. E claro, evite zonas de guerra, já viajei para Tailândia num momento que estava tendo quase uma guerra civil, o que eu fiz? Olhava onde eram as manifestações pela manhã e fugia destes pontos, simples assim, e se o bicho pegar, por favor, pegue um avião e vá embora.

Sempre pesquise as leis locais, não vá fumar maconha ou dirigir bêbado nos EUA, loucura completa. Não faça nada que não é permitido, por isso, jamais fique bêbado demais ou drogado em um país estranho com um cultura diferente, é muito arriscado, você pode até morrer congelado dormindo na rua, pense nisso.

Internet

Normalmente a internet é cara e ruim na maior parte do planeta, por isso vá para cafés como o Starbucks ou em restaurantes, para trabalhar ou para utilizar da maneira que achar melhor. Eu costumo fazer tudo no meu computador sem internet, offline, faço meu trabalho e depois uso a internet rápida para enviar documentos, vídeos e etc, faça o mesmo.

Filhos

Filhos são um capítulo à parte, porque sendo solteiro ou casado sem filhos, tudo é permitido, e não existe nada acima que você não possa fazer, mas com crianças… A primeira coisa que você precisa saber, os aviões até hoje não são pressurizados o suficiente para crianças novas, principalmente bebês. Você não fica mais enjoado como antigamente, mas um bebê naturalmente irá sofrer e chorar em vôos internacionais. Provavelmente isso irá mudar no futuro…

Outro detalhe, os neuro cientistas já descobriram que até os seis anos de idade, uma criança não lembra de nada que se passou pela sua vida, é apenas uma fantasia inventada com a soma de fotos e lembranças dos outros, que enganam a mente e parecem uma memória viva. Claro, o dinheiro, a vida e os filhos são seus, mas é bom saber que será dinheiro e sofrimento perdido em vão, mas claro, provavelmente seja uma boa lembrança para você mesmo ☺

Comida

Jamais coma em lugares de turistas, são os piores restaurantes e os mais caros preços. Em países como o EUA, evite ao máximo franquias, lembre que a comida é uma experiência cultural. E se alguns países são hoje verdadeiras babilônias, aproveite para comer comida do mundo inteiro, como em New York. Coma sempre com os locais, perguntei onde eles comem, que seja na rua, como em Bangkok. Você irá pagar menos e comer melhor. Sempre comi bem em todos os lugares que visitei, porque evito franquias e lugares de turistas. Por isso voce pode comer mal até na Itália ou ser ingênuo o suficiente para comer hamburguer nos EUA.

Atrações Turísticas

Talvez o tema mais padrão do guia, provavelmente a única coisa que vale a pena olhar nos guias tradicionais, porém, mesmo assim, pergunte aos locais se tem alguma atração nova ou pouco conhecida. Em Playa del Carmen visitei a incrível pirâmide de Coba, lá tinham raros turistas.

Pacotes Turísticos

Procure pacotes de avião e hospedagem, normalmente são um excelente negócio, principalmente em países desenvolvidos, já fiquei dez dias em Las Vegas por apenas 260 dólares, com avião (San Diego) e hospedagem, mas evite ao máximo pacotes locais para turistas, como visitar atrações turísticas, porque normalmente são mais caros do que ir de ônibus ou carro alugado. E o ingresso na porta, também costuma ser bem mais em conta. Sempre pesquise com os locais, existem atrações semelhantes ou melhores com preços menores, pelo simples fato que não investem tanto em marketing, você pode visitar um cenote em Tulun por um terço do preço. Claro, sempre existem exceções, já fiz um City Tour em Los Angeles e Santiago que foram sensacionais e inesquecíveis, no estilo turistão, em um ônibus aberto. E lógico, pessoas mais preguiçosas ou muito ocupadas, podem pagar o preço da comodidade.

Museus

Além dos óbvios, procure os poucos conhecidos ou divulgados, em Paris têm vários interessantes, em Las Vegas fica escondido o sensacional Museu da Bomba Atômica e em Los Angeles tem uma jóia perdida, o Museu Paul Getty. Em várias cidades você irá encontrar grandes achados.

Vários museus do mundo tem desconto para estudantes e muitos são de graça, mas poucas pessoas sabem, na verdade, a entrada é uma doação, nos EUA vários museus são assim. Em alguns lugares vale a pena comprar um ticket para vários museus, se consegue pagar menos.

Idosos

Pague o preço do comodidade e lembre que em alguns lugares as suas férias podem precisar de outras férias. Na Europa por exemplo, muitos hotéis com elevadores apertados ou a inexistência deles, em outros lugares do mundo também são assim, como a própria Argentina. Nestes casos, pague para alguém levar para você, viaje com alguém jovem para ajudar ou vá numa excursão.

Boates

Sempre pergunte aos locais, em algumas cidades a internet funciona muito bem, mas em vários, os sites têm informações pobres, com péssimas dicas. Uma vantagem de ficar em um albergue é que sempre saberá o que há de melhor para fazer, mas assim como em um restaurante, jamais pergunte ao garçom o que é melhor ou se o prato pode ser dividido, seria como pedir para o seu cachorro guardar o filé do jantar. A dica será completamente parcial, por isso pegue um amontoado de informações com o pessoal do albergue, com os jovens na rua, com funcionários de lojas de roupa (excelentes dicas) e assim decida o melhor destino.

Depois de descobrir o local, vá na internet e coloque seu nome na lista da boate, se não conseguir, chame o promoter na porta da festa, diga que é turista e que quer um desconto, sempre funciona, para mulheres, ainda mais. Última dica, muitos lugares mais sofisticados, homens só entram acompanhados ou comprando um combo caríssimo, a dica é pedir para as mulheres na porta se podem entram com você. ☺Normalmente as boates são de graça ou muito barato para entrar, no entanto, a bebida é sempre cara, em Dubai ou em Bangkok.

Tenha uma boa viagem, curta muito e coloque sua opinião para melhorar o guia, podemos criar algo ainda melhor!

Gostou do texto?

Share This